Blog

Detecção Precoce de Câncer de Pulmão

Postado por Dr. Altair Costa Jr em 14/09/16

 
dr-altair-costa-blog-detecao-precoce-cancer-pulmao
Dr. Altair da Silva Costa Júnior

Câncer de pulmão

O Câncer de pulmão é a neoplasia mais frequente no mundo, com mais de 1 MILHÃO e 800 MIL de pacientes por ano. Também é a mais letal, com cerca de 1 MILHÃO e 500 MIL de mortes por ano no mundo.

No Brasil, de acordo com dados do INCA, a estimativas para 2016 de casos novos é de 28.220, sendo 17.330 homens e 10.890 mulheres (2016 – INCA). Número de mortes: 24.490, sendo 14.811 homens e 9.675 mulheres.

Esta alta incidência aliada à elevada mortalidade fazem do carcinoma broncogênico um problema de saúde pública. É a neoplasia mais letal que existe.

Seus principais fatores de risco são o vício o tabagismo e a idade avançada, portanto a população alvo para um programa de detecção precoce consiste principalmente em homens fumantes e ex-fumantes a partir dos 55 anos até os 74 anos. Porém, pacientes mais idosos podem ser incluídos.

A história natural do câncer de pulmão passa por três estágios: período pré-maligno, período pré-clínico e doença clinicamente evidente. Somente na fase pré-clínica o câncer apresenta tamanho suficiente pra ser detectado por técnicas diagnósticas. Sabe-se que os tumores apresentam-se como nódulos ou massas, diferenciados basicamente pelo tamanho. Ambos consistem em lesões esféricas, predominantemente sólidas, sendo que, quando menores de 3 cm, são definidos como nódulos, e quando maiores que 3 cm, massas. Quanto maior o tamanho, maior o risco de malignidade.

Segundo informações do INCA, define-se diagnóstico precoce de um câncer como ações de detecção de lesões em fases iniciais a partir de sintomas e/ou sinais clínicos, porém o quadro clínico do câncer de pulmão além de ser extremamente inespecífico, aparece somente em estadios avançados da doença, situação na qual o tratamento oferecido apresenta baixa taxa de cura. Portanto, conclui-se que para o câncer de pulmão, a definição de diagnóstico precoce acima é incoerente, sendo mais compatível com a realidade desse o significado de “diagnóstico oportuno”.

Desta forma, o diagnóstico precoce pode ser realizado a partir de algumas ações:

– Rastreamento: deve identificar a doença em pessoas assintomáticas com risco de câncer de pulmão. As pessoas com alto risco são: idade maior que 54 anos, com carga tabágica maior que 30 maços.ano (fumante de 1 maço de cigarro por dia, por 30 anos ou equivalentes, como 2 maços por dia por 15 anos). O método de rastreamento deve oferecer pouco risco ou desconforto para a pessoa e ter um custo acessível.

– Busca ativa: ocorre quando funcionários da Área da Saúde se direcionam a determinadas áreas, possivelmente de alto risco, a fim de coletar dados epidemiológicos de determinada doença.

– Busca passiva: ocorre quando a população procura os Serviços de Saúde e desta maneira é possível receber os dados epidemiológicos de determinada área. A busca passiva é estimulada por programas de prevenção desenvolvidos pelas organizações de saúde.

O diagnóstico do câncer de pulmão pode ser feito através de exames de imagem, como a tomografia Computadorizada de Baixa Dosagem (TCBD) na detecção precoce do câncer de pulmão.

O National Lung Screening Trial (NLST), realizado nos Estados Unidos, avaliou mais de 50 mil pacientes com alto risco para câncer de pulmão (fumantes e ex-fumantes com alta carga tabágica). Os resultados mostraram uma redução de 21% no grupo da tomografia Computadorizada de Baixa Dosagem.

– No método de rastreamento proposto, deve ser considerada a carga de radiação, tendo em vista o número de exposições dos pacientes aos exame de imagem, como tomografias ou mamografias. Uma tomografia de tórax convencional tem 4mSv. A tomografia Computadorizada de Baixa Dosagem, 1,5mSv e a Mamografia 0,7mSv.

– Estudos recentes indicam que 20 a 60% de exames de imagem em tabagistas e ex-tabagistas mostram anormalidades. A maioria destas lesões não é câncer, são cicatrizes devido ao uso do tabaco, áreas de inflamação e outras lesões benignas. Mas é fundamental a avaliação de uma equipe experiente e capacitada para discernir qual lesão é suspeita de malignidade. A investigação implica em realizar outros exames, biópsias ou cirurgias.

O câncer de pulmão é um dos tipos mais frequentes de câncer e o de maior mortalidade no Brasil e no mundo. O diagnóstico precoce tem papel fundamental para a cura da doença. Pelo modelo atual de diagnostico do câncer de pulmão no Brasil, mia de 85% dos pacientes descobrem o tumor numa fase avançada, com poucas perspectivas de cura. Menos de 5% são diagnosticados na fase inicial, com lesões menores que 2 cm.

Por que isso ocorre?

O sistema atual é passivo, ou seja, espera o paciente procurar o médico ou hospital. Este por sua vez, só ira ao hospital se tiver queixas, sintomas, algum incomodo. No contexto da neoplasia pulmonar, quando ocorrem os sintomas, na maioria das vezes, a lesão já esta em um estagio avançado.

Qual a alternativa?

O sistema de busca ativa, ou seja, uma estratégia de procurar a doença ANTES de iniciar os sintomas seria uma alternativa promissora, a exemplo do que ocorre em países como Inglaterra, Dinamarca, Estados Unidos, Japão, entre outros. São chamados programas de detecção precoce ou rastreamento de câncer de pulmão.

As pessoas com fatores de risco são os candidatos para a busca ativa ou rastreamento. Para o câncer de pulmão, atualmente, são os indivíduos:

– Com idade entre 55 e 74 anos;
– Fumantes com carga tabágica (exposição do indivíduo ao tabagismo) maior ou igual a 30 maços.ano – número de maços por dia, multiplicado pelo número de anos que fumou, exemplo, um senhor que fuma 2 maços de cigarro por dia por 15 anos, ou 1 maço por dia há 30 anos;
– Ex-fumantes com a mesma carga tabágica, que cessaram o tabagismo há menos de 15 anos;

Esta é a população de risco no momento, porém estes parâmetros são modificados com novas evidências ao longo do tempo.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1.http://www.wcrf.org/int/cancer-facts-figures/data-specific-cancers/lung-cancer-statistics

2. http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs297/en/

3.http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/pulmao/definição

4. Métodos de prevenção secundária. In: Jekel JF, Katz DL, Elmore JG. Epidemiologia, bioestatística e medicina preventiva. Porto Alegre: Artmed; 2005. 2ª edição. p. 274-287

5. Andrade TLES, Ramos-Barbosa S, Pereira-Silva JS. Protocolos de rastreamento para o diagnóstico precoce do câncer de pulmão: passado, presente e futuro. Pneumol. 2002.set/out; 28 (5): 294-301

6. National Lung Screening Trial: questions and answers [base de dados na internet]. EUA: National Cancer Institute at the National Institutes of Health. 2002. [atualizada em 2011.jun.29]; [acesso em 2011.out.29]. Disponível em: http://www.cancer.gov/newscenter/qa/2002/nlstqaQA#que1

7. Guide to clinical preventive services, 2010-2011; Section 2. Recommendations for adults; Lung Cancer Screening [base de dados na internet]. Gaither Road Rockville (MD): Agency for Healthcare Research and Quality (US Department of Health & Human Services. 2010. [acesso em 2011.out.29]. Disponível em: http://www.ahrq.gov/clinic/pocketgd1011/gcp10s2.htm

8. Mulshine JL, van Klaveren RJ. Lung cancer screening: what is the benefit and what do we do about it? Lung Cancer. 2011. 71: 247-248

9. MacMahon H, Austin JHM, Gamsu G, Herold CJ, Jett JR, Naidich DP, Patz Junior EF, Swensen SJ. Guidelines for management of small pulmonary nodules detected on CT scans: a statement from the Fleischner Society. Radiology. 2005.nov. 237 (2): p.395-400

10. Hubbard RB, Baldwin DR. Diagnosing lung cancer earlier in the UK. Thorax. 2010 set. 65 (9): 756-758

11. Wahidi MM, Govert JA, Goudar RK, Gould MK, McCrory DC. Evidence for the treatment of patients with pulmonary nodules: when is it lung cancer? Chest. 2007 set. 132 (3) supplement: 94S-107S

Related Post

PREVENÇÃO DO CÂNCER A prevenção do câncer engloba todas as ações que podemos tomar para diminuir as chances do aparecimento de um câncer. Ele causa dor e sofrimento t...

DEIXE SEU COMENTÁRIO